sexta-feira, 17 de julho de 2009

Considerações sobre a Conferência Municipal em Campos dos Goytacazes

Tivemos a primeira Conferência Municipal em Campos dos Goytacazes...
Grandes expectativas,já que ali novas metas estavam em jogo e o que de interessante com a participação dos diversos segmentos da sociedade civil organizada.

Participei como representante da EJA,já que sou professora da rede do 1º segmento e luto para que a Prefeitura assuma o compromisso com os analfabetos que chegam à rede e só encontram a opção da 1ª fase,e caem numa repetência que dura anos e não os atendem da forma como merecem,já que desejam aprender a ler a escrever,pois este é um direito de todo cidadão brasileiro,e não se sentem confortáveis em participarem dos Projetos oferecidos em parceria com o Governo Federal,pois estes não lhe garantem transportes,alimentação e ainda aquela vontade nada escondida de se sentirem participantes da Escola .

Participei da 1ª palestra com o professor Hélio Coelho que nos fez entender que a Conferência nos daria oportunidade de contribuirmos ,como participantes da História de Campos dos Goytacazes,pois vivemos um momento em que a Democracia na planície está passando da forma representativa para participativa,já que ali tínhamos pais,alunos,professores,profissionais da Educação ,Sindicato dos Profissionais de Educação (SEPE), Sindicato dos Profissionais Servidores Públicos Municipais (SIPROSEP), Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino (SINEPE) e o Fórum Interinstitucional dos Dirigentes do Ensino Superior de Campos (FIDESC), PROCON/Campos, a Coordenadoria Regional Norte Fluminense I, representantes de escolas municipais(Aí eu estava) e a Câmara Municipal de Vereadores.

Se não tivemos uma melhor representatividade por parte tanto da sociedade civil,como da de pais e alunos foi talvez porque tenha faltado em algumas Unidades Escolares o Debate antes da Conferência,talvez alguns diretores não organizaram o debate para os eixos temáticos não despertando nos pais, alunos ,professores de participarem destas novas metas que culminará na CONAE 2010.

Percebi que vários representantes da sociedade civil compareceram e se eu não estou enganada as ausências de professores ,funcionários e alunos na minha opinião ficaram por conta de determinações de alguns diretores que consideraram a discussão irrelevante e não permitiu uma maior participação.

A Conferência é uma conquista e demorada,digo de passagem, não só dos campista mas de toda sociedade brasileira que se julga no direito de opinar sobre seu presente e seu futuro. Para isso, convoca os atores que considera fundamentais: professores, funcionários, estudantes, pais e gestores.

A Conferência é deliberativa, isto é, o poder público deve acatar as sínteses produzidas e transformá-las em políticas...


A Conferência é uma oportunidade de, finalmente, dar alguma concretude ao conceito de “sistema nacional de educação” que permeou o Manifesto dos Pioneiros da Educação, em 1932, mas esteve, muito antes, nas preocupações de pensadores brasileiros.
A Conferência é um espaço coletivo que visa elevar o protagonismo dos que se sentem responsáveis pelos rumos da educação.

Finalmente, a Conferência é um espaço para a crítica, para a polêmica, para a discordância que, pelo método de construção coletiva, pode converter-se em alguns consensos. Ou não. Mas, o direito à crítica supõe estar lá para fazê-la. É o que garante sua pertinência e sua legitimidade.


Se nem todas as etapas da Conferência, o debate primou "pela qualidade, pela garantia do processo democrático, pelo respeito à autonomia na relação federativa,a pluralidade, a representatividade dos segmentos sociais, dentro de uma visão ampla e sistêmica da educação"...não posso negar que houve representatividade,e que delegados foram escolhidos ,sendo que os representantes foram metade da Sociedade Civil e outra da Pública(Tentando atender na medida do possível todos ali representantados) ,foi remarcada outra data para a realização da plenária final desta Conferência, para a construção do documento que servirá de base para as discussões da Conferência Intermunicipal de Educação, em Agosto, também em Campos.
Na ocasião serão eleitos os 184 delegados que levarão as propostas da sociedade campista para o evento.
Em seguida, as propostas também serão levadas para a fase estadual e para a Conae, em Brasília, em abril de 2010.

Foi o segundo dia,onde o sociólogo João Antônio de Monlevade encaminhou as discussões em torno da eficácia da educação do município onde respondia a perguntas e sugestões do público, em tribuna aberta, junto à secretária...um "Reino foi dividido"...,confira o relato da Professora Monica Ensinar - Projeto de vida: "UM REINO DIVIDIDO, NÃO SUBSISTE"

Realmente no momento que ouvi pelo microfone o nome da Escola que trabalho,e a distorção a respeito justamente de um dos pontos positivos da Audiência postado aqui no meu blog,fui impulsionada a entrar no auditório para melhor entender a colocação da professora,...mas aí já era tarde demais para defender ou pelo menos relatar as verdades ditas e que com certeza foram encaminhadas a Secretária ,...

Mas é imaturidade como esta que nos fez ouvir da Secretária que teríamos que encerrar as perguntas e sugestões e que não estávamos acostumados a ter voz e vez por isso não sabíamos fazer uso das mesmas quando oportunidades nos eram oferecidas...

Como categoria digo,não havia necessidades de aumentar ou mentir sobre nada,temos muitas lutas reais que merecem mais atenção por parte de nossas autoridades...

4 comentários:

NA LUTA PELA EDUCAÇÃO disse...

Dialogando com Paulo Kautscher – Marxismo e a Prática Sindical

Autor: Liu Sai Yam


Tentando lançar “pontes” entre o oportuno texto postado por Paulo sobre o panorama atual do sindicalismo, submetido a sistemático torpedeamento por parte da grande midia e setores blogueiros “modernos-realistas-moralizantes,”, na esteira também da ofensiva contra categorias profissionais inteiras (cuja justeza não é aqui objeto de discussão), cabe possivelmente uma reavaliação crítica do papel dos sindicatos como instrumento imprescindivel de organização do trabalho e disciplinação do capital, porem com vista à emergência de formas originais, inéditas, de luta política dentro de uma perspectiva de transformação concreta-real das relações de exploração articuladas pelo capitalismo.

Leia:http://eleicoessepe.blogspot.com/

Anônimo disse...

UFF-Campos adia retorno às aulas


O Polo da Universidade Federal Fluminense (UFF), em Campos, decidiu adiar a volta às aulas, que estava inicialmente marcada para acontecer na próxima segunda-feira, 10 de agosto. A decisão se deve ao surto da nova gripe e foi tomada após ouvir especialistas e autoridades do setor de Vigilância Sanitária do Estado e do Município. Em princípio, as atividades acadêmicas estão suspensas por uma semana, mas, na quarta-feira, dia 12, a direção da universidade realizará nova reunião para avaliar a evolução ou regressão da doença e o possível retorno das aulas no dia 17 de agosto.

A programação inicial com Aula Magna e palestras, elaborada para ser incrementada na semana de 10 a 14 de agosto, a UFFesta de confraternização entre os calouros e a mesa redonda com lideranças do movimento estudantil Nacional e regional, marcadas para os dias 20 e 21 de agosto, assim como as atividades da Uniti, também estão momentaneamente adiadas. Os interessados em acompanhar o desfecho desse processo podem acessar o site da UFF: www.proac.uff.br/campos ou www.uf.br.







Grata,



Profª Ana Maria

Fábio Pereira da Silva disse...

A conferencia realmente foi bem boicotada mas nao soh por diretores e tals. Fui eu representante da minha escola para o eixo 3, me jogaram na ponte q caiu mas reclamei e fui pra onde me era pertinente. Mt desorganizado msm.
Mais uma que eu realmente queria falar, assim como Deus mandou o diluvio hj manda a Gripe Suína para q chegue ateh a ESCOLA MUNICIPAL FREDERICO PAES BARBOSA um mínimo de higiene q profissionais e alunos necessitam pra desempenhar suas funcoes, digo minima pq está longe de ser algo suficiente. Nessa escola trabalho desde julho/2008 qdo entrei pra rede e hj encontro-me excedido.

Mais uma: fui chamado de anormal!!!! Um profa da minha escola me disse isso no carro q estavamos pegando carona . . . Ela axa q poderia ser pq eu cai de cabeça qdo criança. Ela de repente tah tao sem percepção nao enxerga problema alguma na escola.

Alguem me arruma um neurologista?!

Anônimo disse...

Que conferência foi esta?!?! Sendo ela feita por Rosinha Garotinho, teria alguma credibilidade? Quer dar legitimidade a uma conferência, em que tem, por exemplo, como representante o Procon (Defesa do Consumidor) que tem como secretária Rosangela Tavares (empresária que já trabalhou no CDL, ou seja, defesa do fornecedor)? Quer dar legitimidade a uma conferência em que Helinho Coelho, servo dos garotinhos, dá palestra? Quer dar legitimidade a uma conferência feita por uma Prefeitura que não tem plano nenhum de educação para o município? Isso só pode ser uma piada!