segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Independência do Sistema Educacional





Ao analisar as estruturas educacionais encontramos a falta de infra-estrutura deixada pelo colonialismo e também presente no "novo" sistema educacional .

Se formos analisar por meio da avaliação do desempenho de sucessivos governos que fizeram parte da história educacional da planície, destacamos, em primeiro momento, a ausência de instituições escolares , não que isto significasse a inexistência de ensinoaprendizagem, pois se tratava de urna cultura oral que veio a ser sobreposta pela cultura escrita européia.

Nesse sentido, no ensino colonial, a Igreja Católica desempenhou o papel fundamental na docilização dos goitacazes. A Igreja não só ajudou na implantação da política educacional, como também participou na legitimação do colonialismo português, sancionando e santificando a missão civilizadora e função histórica de Portugal.

Paralelamente a essa educação, o movimento de libertação nacional instaurou a educação em alguns pontos da planície, esta educação era mais aberta e mais dinâmica em relação ao mundo exterior. Ela não tinha mais como objetivo principal produzir uma situação de equilíbrio e de estagnação e sim procurava apoiar-se e favorecer o processo geral da luta de libertação em que se inseria.

Logo após a independência da planície, a educação tinha sido vista como um dos meios de realização de mudanças sociais implementando o novo sistema educacional, cujo projeto consistia em deslocar temporariamente os estudantes ao campo, para que pudessem trabalhar com os camponeses, os quais ensinavam as noções básicas de cultivo.

A periodização de mais de 187 anos obedeceu ao recorte das gestões governamentais. Se analizarmos os governos: do prefeito Zezé Barbosa ,Garotinho seguido do Sérgio Mendes e Garotinho seguido de Arnaldo Viana e o atual governo da Rosinha .

Não saberíamos determinar objetivos e direcionar ou procurarmos determinar os objetivos e diretrizes da politica organizacional, os principais programas, a organização institucional montada, os recursos financeiros alocados, a política de recursos humanos e uma avaliação do desempenho quantitativo sob o ponto de vista do desempenho do governo.

Identificar em que contexto essas diretrizes e ações foram formuladas, que alternativas estavam colocadas, a estratégia de implementação e uma avaliação dos resultados é complicado mas refletindo sobre a ação do governo, passamos a avaliar o desempenho da organização educacional como um todo, isto é, quais foram os resultados da organização com relação ao nível de escolarização da população e seu grau de eqüidade.

Se fizermos um aprofundamento na avaliação do desempenho da rede regional;poderíamos enfatizar aqueles aspectos da ação governamental que, a nosso ver, poderiam contribuir para o debate sobre o projeto de formação dos professores do ensino básico da escola pública na planície.

O estudo de perspectivas histórica da organização do sistema educacional da planície poderia contribuir para uma análise do sistema educacional , procurando mostrar uma perspectiva critica no que se refere aos fatores que condicionam a educação quanto às medidas por eles geradas na estrutura da sociedade campistas.

A organização educacional implementada em nosso município nas últimas duas décadas
foi direcionada pelo Estado para o cumprimento de pelo menos três funções básicas, a saber:

1°) transformação da então estrutura implantada pelo colonialismo português através da dualidade educacional existente em todo o país: uma colonial e outra adquirida nas zonas libertadas;

2°) unidade da educação com o trabalho produtivo, por meio de contato direto dos estudantes com a realidade do país e

3°) combater o analfabetismo que era de 90%, considerado uma das seqüelas do descaso com a educação durante a dominação colonial. Essas duas funções (transformação e educação voltada para a realidade do país) foram atribuídas à nova organização educacional e não poderiam ser concretizadas sem que a mesma fosse direcionada para o cumprimento da terceira (combate ao analfabetismo) e realizada simultaneamente com as demais (unir a educação ao trabalho produtivo e a transformação da educação herdada do colonialismo português).

Não obstante, a transmissão da ideologia subjacente ao próprio sistema que se queria implantar o Socialismo.

Por conseguinte, anos depois, quando houve a liberalização econômica, iniciou-se o descaso com a educação. Essa decadência parecia invadir todos os setores na planície e o sistema educacional foi atingido em todas as suas condições.

Destarte, as condições escolares começaram a piorar, as instalações tornaram-se precaríssimas juntamente com os profissionais mal preparados que ofereciam um ensino compatível com os seus próprios salários.

Hoje a planície e o Estado estão em processo de lutas pela sua consolidação institucional. A configuração da organização política é instável e, além disso, está permanentemente submetida aos impactos das mudanças políticas e econômicas mundiais.

O sistema educacional campistas e sua evolução refletem o estado de evolução histórica do país. A perspectiva da organização eficaz do sistema educacional depende das consolidações política e institucional no país,

5 comentários:

DIGNIDADE CAMPOS DOS GOYTACAZES disse...

Querida Hilda, bela postagem, voltou com tudo.
É muito bom ter você novamente na trincheira.
A luta continua companheira.
Abraços

Silvana Nunes .'. disse...

Excelente espaço para reflexão. Voltarei sempre.
Saudações Florestais !

Provisano disse...

Brilhante o conteúdo do tópico, não deixou quase nada para se acrescentar, Professora.

Voltastes, como bem disse Dignidade, com a corda toda. Vou copiar e colar esse seu comentário e levar para discutí-lo em sala de aula com meus colegas de curso. Estou cursando Pedagogia no Isepam e minha turma é extremamente curiosa.

É incrível como, passados séculos, a Educação no nosso país pouco avançou e em nossa Campos, o avanço se deu de forma mais lenta ainda. Mas, vamos que vamos, em frente, discutindo, debatendo, como aqui nesse blog, afinal, há vida inteligente por aqui.

Forte abraço.

luisa.minuteen disse...

Olá, professora Hilda! Acessei seu blog por acaso e vi que você se esforça pra manter o site super bonito, né?
Seguinte, estou divulgando um festival de cinema - o Festival do Minuteen - com filmes de um minuto feitos pela galera de até 14 anos.
Já entrei em contato com vários blogueiros e estou agora entrando em contato com você pra ver se não tem interesse em divulgar no seu blog ou até incentivar seus alunos a participarem, ok? Aí vai meu MSN: luisa.minuteen@hotmail.com

Silvana Nunes .'. disse...

Boa tarde.
Para mim é uma felicidade enorme receber sua visita . Pena que a minha conexão é muito lenta e nem sempre consiga abrir os blogs, que em sua grande maioria são muito carregados. Agradeço as suas palavras carinhosas e o seu interesse pelo meu trabalho de pesquisa. Sempre que puder e a minha conexão permitir, estarei sempre visitando você.
Um grande beijo.
E volte sempre, terei sempre uma história para contar.
Na luta por um mundo melhor,
saudações Florestais!